domingo, 28 de junho de 2009

Novidades

Segundo notícias veiculadas pela imprensa de hoje (DN), a Câmara Municipal de Oeiras (CMO) decretou o embargo das obras. A ser verdade, esta decisão só peca por ser tardia porque a CMO tem conhecimento oficial desta obra há mais de um mês, data em que pedimos formalmente acesso ao processo de licenciamento da mesma.

Neste espaço de tempo, foram arrasados mais de 200.000 metros quadrados de terreno, cortadas inúmeras árvores e vedado o acesso a uma área considerável por parte dos utilizadores, com prejuízos incalculáveis para a fauna, a flora e a nossa qualidade de vida.

Esperamos que o IDP faça agora propostas para utilização dos terrenos em causa que (1) respeitem a lei; (2) respeitem o ambiente ; (3) respeitem as condicionantes decorrentes de se tratar de leito de cheias e domínio hídrico público; e (4) respeitem os utilizadores do Estádio Nacional, permitindo o seu acesso a esses espaços, sem vedações nem limitações descabidas.

Julgamos que todos ficaremos satisfeitos se procederem à requalificação desses terrenos, dentro das condicionantes já enunciadas. Julgamos também que todos verão com bons olhos o melhoramento das instalações do actual Campo de Treino da Federação Portuguesa de Golfe já existentes no local, nomeadamente através da substituição das vedações actuais (que não oferecem condições de segurança aos outros utilizadores).

Por nós, vamos levar este processo até ao fim e contamos com todos vós.

1 comentário:

  1. Caros Amigos do Estádio Nacional;

    Embora pequem por tardias e com os consequentes custos mencionados no artigo as notícias referentes à CMO são boas notícias. Espera-se agora que o IDP cumpra os pontos 1 a 4.

    Continuamos a divulgar a petição...

    []

    I.

    ResponderEliminar