segunda-feira, 21 de setembro de 2009

As dores dos outros?

Um dos grandes mistérios e pontos por esclarecer de toda esta história é o papel da Federação Portuguesa de Golfe (FPG).

A FPG tem vindo repetida e activamente a defender este projecto (bem mais do que o IDP), sem que se saiba ao certo a que título é que o faz: é apenas uma federação a defender a construção de mais uma infra-estrutura desportiva ou é mais do que isso?
Também tem vindo a alegar repetidamente que é uma das principais prejudicadas com a nossa intervenção, sem esclarecer no entanto quais são os seus "prejuízos", para além daqueles que ela própria causou a si mesma ao permitir a destruição do campo de treino de golfe do Estádio Nacional.
É do conhecimento público que a FPG explora comercialmente um campo de treino de golfe (2,5 hectares), uma loja e um restaurante no Estádio Nacional, alegadamente ao abrigo dum protocolo antigo com o IDP. É também do conhecimento público que deriva daí importantes receitas.
Ora, se o projecto do campo de golfe for para a frente, há realmente potencial para a FPG sair prejudicada porque, caso o IDP decida concessionar o espaço, terá de o fazer através dum processo público, aberto e transparente e nada garante que a FPG saia vencedora desse concurso...
Se o IDP decidir não concessionar o espaço e explorá-lo directamente, a FPG perde o seu campo de treino de golfe, a loja e o restaurante...
Por tudo isto, acharíamos que a FPG teria muito mais razões para se preocupar com o projecto de construção do campo de golfe do que com as nossas acções para o impedir!
Mas é claro que também se pode dar o caso do IDP e da FPG estarem a pensar atribuir a esta última a exploração do campo de golfe, sem mais, cedendo directa e generosamente a privados (a FPG) mais de 30 hectares de terrenos do domínio hídrico público para a FPG explorar comercialmente...
Ora, quanto a isto, sugerimos que vejam melhor a legislação sobre o domínio hídrico público e os bens públicos: talvez descubram que há alguns "obstáculos" a tão brilhante ideia!

Sem comentários:

Enviar um comentário