sábado, 19 de setembro de 2009

Obras de fachada... e obras necessárias

Com o recomeço das aulas de natação no Complexo de Piscinas do Jamor, constatámos com profunda desilusão que não foram feitas as muito necessárias obras de manutenção.

O fundo da piscina olímpica tem vários azulejos partidos, as colónias de fungos e/ou bactérias que se encontram no fundo da piscina continuam em franco crescimento, a água começa a ter uma cor duvidosa e as paredes do pavilhão continuam cobertas de mofo...

Apesar desta tristeza, os corredores brilham, cheios de plaquinhas novas com nomes pomposos e posters gigantes. Mas que critérios são estes de quem gere as piscinas? É melhor ter placas em acrílico em cada porta e posters a cada 5 metros do que limpar e reparar a piscina?

Senhores, aquelas piscinas são usadas por milhares de pessoas que pagam! Têm o direito a condições mínimas de higiene e salubridade e pouco se importam com posters e outros enfeites!

2 comentários:

  1. Não resolveram o que seria urgente resolver? Logo agora que conheço quem lá vá fazer natação na próxima época. Estará, de facto, a água da piscina contaminada? Será que posso pedir análises à água para outra entidade competente junto aos responsáveis do complexo? Será que, a concretizar-se, irão ser os resultados imparciais?

    ResponderEliminar
  2. Caro Paulo,
    Julgamos que a água não está contaminada; isso seria demais! Está provavelmente apenas mais esverdeada do que estava e tem colónias de bactérias e/ou fungos no fundo, há mais do que um ano. Neste momento, tem também vários azulejos partidos no fundo da piscina, com os cacos espalhados. As paredes cobertas de mofo estão à vista de toda a gente.
    Pode pedir análises a uma entidade independente, mas julgamos que não há motivos para julgar que os resultados que eles afixam no Complexo de Piscinas são falsificados.
    Sugerimos que os utentes peçam o livro de reclamações e protestem contra esta situação - afinal, pagamos por utilizar a piscina!

    ResponderEliminar