quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Alterações importantes ao projecto e próximos passos

Das declarações das testemunhas apresentadas hoje em tribunal pela FPG, pelo empreiteiro e pelo IDP resultou que tinha havido alterações importantes ao projecto do campo de golfe.

Em primeiro lugar, aparentemente já não será construído um depósito em Linda-a-Velha para irrigar o campo de golfe, sendo substituído por um lago dentro do próprio campo.

Depois, o campo de golfe respeitará um afastamento de 35 metros do rio Jamor, para permitir a construção do chamado Passeio Ribeirinho pela CMO.

A direcção de jogo do buraco 3 do campo de golfe (aquele cujas últimas pancadas eram dadas precisamente no sentido da A5 e que distava apenas cerca de 25 metros desta) alegadamente será alterada e essa zona será protegida com redes para salvaguardar os condutores que circulam na A5.

As espécies vegetais a plantar serão alteradas, no sentido de privilegiar espécies autóctones, em vez das espécies exóticas e introduzidas que estavam previstas.

Conforme as pessoas que têm vindo a seguir este processo irão seguramente notar, todas estas alterações dizem respeito a pontos levantados por nós. É lamentável que tenhamos tido de recorrer ao tribunal para que os responsáveis por este projecto olhassem para ele com algum cuidado, manifestamente esquecido na versão anterior.

Relativamente a estes aspectos, o juiz ordenou que fosse entregue a documentação correspondente, o que terá de acontecer nos próximos 5 dias. Após isso, teremos 5 dias para nos pronunciarmos. Findo estes procedimentos, o processo irá ao juiz para decisão, provavelmente no final de Novembro.

Por outro lado, o IDP informou que a ARHT terá licenciado as diversas utilizações dos recursos hídricos em causa com a construção do campo de golfe. Naturalmente, temos a maior curiosidade em conhecer os fundamentos de tal decisão.

Posto isto, vamos aguardar para ver qual é a configuração exacta do projecto de que estamos a falar, que pelos vistos difere sensivelmente da versão anterior dada a conhecer ao tribunal e que nos foi facultada.

Obviamente, seja qual for a configuração, as questões principais continuam lá: privação do uso do espaço pelas outras pessoas, impacto ambiental (nomeadamente em termos de recursos hídricos) e construção em leito de cheias.

4 comentários:

  1. Não é tudo mas já é alguma coisa. Parabéns pelo esforço e pelo exemplo dado de cidadania activa, de defesa de ideias que não fica apenas pela conversa, o que muitos de nós fazemos.

    ResponderEliminar
  2. Ana Lima,

    Muito obrigado! É preciso que as pessoas se lembrem que o "come e cala" acaba sempre em ditadura.

    ResponderEliminar
  3. O nosso muito obrigado. Running, P.and S. , Jamor Association Jose Dionisio

    ResponderEliminar
  4. Não tem de quê! Por favor, contacte-nos por e-mail porque precisamos de falar convosco. Obrigado.

    ResponderEliminar