quarta-feira, 18 de novembro de 2009

´Vazadouro de terras na margem do Jamor e na mata

Segundo o que conseguimos apurar, o monte de terra que está depositado na margem esquerda do Rio Jamor junto à auto-estrada estaria destinado a ser espalhado na pista de corta-mato por causa do Crosse de Oeiras que se realiza este fim de semana.

No entanto, alguém chegou à conclusão (óbvia!) que não serviria para esse efeito, devido à terra ser muito barrenta, e neste momento está a ser removido.

As terras que estão a ser retiradas da obra da nave coberta de atletismo estão a ser levadas a vazadouro na zona por cima da pista de corta-mato. Trata-se dum triste espectáculo para quem passeia na mata... um espectáculo infelizmente comum nas nossas matas, onde todos acham que podem despejar os restos das obras.

2 comentários:

  1. A nave de atlestismo também não está no leito de cheias?

    ResponderEliminar
  2. Julgamos que sim, mas infelizmente não temos recursos para ir a todas...

    A competência de fiscalizar estes casos pertence à Câmara Municipal de Oeiras (CMO), à Administração da Região Hidrográfica do Tejo (ARHT) e também à Inspecção Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAOT). Se estas entidades fizessem o trabalho que lhes compete, podíamos dedicar-nos a actividades bem mais construtivas do que sermos obrigado a recorrer aos tribunais para embargar obras.

    Deve ainda frisar-se que a nave de atletismo está encostada a uma colina com uma inclinação muito elevada e em cima duma linha de água/nascente importante, bem conhecida dos utilizadores do Estádio Nacional, aspectos que não fazem prever nada de bom.

    Sugerimos-lhe que se queixe junto da CMO, da ARHT e da IGAOT. Quanto mais pessoas houver a protestar contra o que se passa no Estádio Nacional, melhor.

    Infelizmente, podemos ainda dizer-lhe que a CMO tem total conhecimento das obras da nave de atletismo há muito tempo e, tanto quanto sabemos, não fez rigorosamente nada.

    ResponderEliminar