segunda-feira, 10 de maio de 2010

Campo de golfe avança do lado de cá


A vala junto à pista de corta-mato que se vê na imagem é um passo necessário para ligar o furo, que está deste lado do rio, à pista de golfe, que está na outra margem. E aqui vemos como bens públicos estão a ser desviados para usos privados, com a maior das complacências das autoridades administrativas e dos tribunais. Até quando este assalto aos bens que são de todos nós para os pôr ao serviço de só alguns? Para quando a decisão do tribunal sobre a providência cautelar, neste momento com um atraso de quase 6 meses?

2 comentários:

  1. Para usos privados? Estamos a falar de infraestruturas de apoio a uma modalidade que conta, em Portugal, com cerca de 100.000 federados. Vai ter de se pagar para usá-las? Sim vai. Mas também os courts de ténis ou a piscina é gratuito para quem quer usufruir?
    Moro na Cruz Quebrada, junto à Faculdade e conheço muito bem o que havia naquele espaço. Lixo, carraças (que bem as senti várias vezes quando ía para lá passaer a minha cadela, e desisti, como é obvio)

    Parem com esta panhaçada!!!

    Assinado: Nuno Monteiro - amigo do Jamor

    ResponderEliminar
  2. Caro Nuno Monteiro,
    Muito obrigada por partilhar consigo a sua opinião. Julgamos no entanto que a sua visão do espaço em causa ser ocupado por lixo e carraças um tanto ou quanto redutora e parcial, talvez enviesada pela sua vontade de ver lá implantado um campo de golfe.

    ResponderEliminar