sexta-feira, 27 de agosto de 2010

IDP pede levantamento da providência cautelar

Acabámos de ser notificados de que o IDP solicitou o levantamento da providência cautelar decretada a título preliminar relativamente ao campo de golfe.



Para tanto, alega os mesmos estafados argumentos de sempre e invoca agora uma alegada urgência de erradicar "infestantes" para plantar a relva, bem como os prejuízos sofridos pela Federação Portuguesa de Golfe (FPG) por não poder explorar o driving range.



Ou seja, basicamente, diz que é urgente pôr cobro a uma situação ambientalmente menos boa (infestantes) para a substituir, urgentemente, por outra igualmente má (relva de campo de golfe)!



Já quanto aos alegados prejuízos da FPG, passando por cima do facto de que é altamente questionável que a FPG possa derivar lucros da exploração do driving range, sempre se dirá que o encerramento do driving range não é uma consequência da providência cautelar ou de qualquer acto nosso, mas sim duma decisão da FPG.



Da mesma forma, o facto de que o driving range esteja indisponível para os Special Olympics, para o desporto escolar e para outros atletas e praticantes não é da nossa culpa, é culpa da FPG.


Para quem possa ter dúvidas, a existência do driving range nunca foi posta em causa por nós. Foi a FPG que, a um dado momento da sua existência, resolveu fazer o upgrade do driving range para um campo de 18 buracos, pensando assim maximizar a sua fonte de lucros. Infelizmente para a FPG, as coisas não correram como previsto.


Mas a isso nós somos alheios. Contestámos, isso sim, a construção do campo de golfe, nunca a existência do driving range.

Sem comentários:

Enviar um comentário