quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O duro despertar para a realidade

A Liga dos Amigos do Jamor tem como objecto a promoção e defesa do complexo do Estádio Nacional, mas não vive alheada da realidade do seu país.

Por isso, não podemos fazer de conta que não aconteceu nada e continuar, como se nada fosse, publicando hoje mais um dos nossos artigos sobre o Estádio Nacional.

Neste momento, em que muitos de nós estão a reequacionar as suas prioridades e a deitar contas à vida, a nossa palavra é de esperança e o nosso apelo é para que se saiba distinguir o essencial do acessório e que se dê a mão a quem precisa.

2 comentários:

  1. Sim é verdade que o clima do país não é o melhor. Mas não podemos estar constantemente a apontar o dedo ao vizinho. O país está como está por NOSSA causa! Pelo "deixa andar" que nos é inerente...
    Um dos exemplos foram verificados por mim num passado fim de semana num evento de BTT, salvo erro. O estádio nacional é conhecido por possuir enormes parques de estacionamento. Desde os terrenos junto a Caxias, até aos parques mais próximos do estádio de honra. A verdade é que são hectares e hectares de parque de estacionamento. Então não é que MESMO ASSIM, para assistir a esse dito evento de BTT, os senhores condutores fizeram questão de estacionar as suas viaturas em cima do passeio da avenida Pierre de Coubertin!! Um "espectáculo" digno de causar revolta a qualquer peão. Toda a avenida desde a praça do estádio de honra até às piscinas completamente preenchida de viaturas. Obrigando os atletas e peões a procurar o asfalto para passarem entre o labirinto de automóveis, sujeitos a serem colhidos por não menos perigosos automobilistas. Nem no final da taça se vê tal "espectáculo"... E o pior é que a Polícia que se encontrava no local estava permissiva com esta situação... nem um apito... um aviso... nada... Se não existisse locais para estacionar a 200metros até poderia procurar dentro de mim alguma consolação... mas não. Existem parques bem perto.. e estavam completamente vazios......

    ResponderEliminar
  2. Concordamos consigo. A responsabilidade é nossa, não do vizinho.
    Quanto à falta de civismo, é confrangedor. A situação que aponta também se vive, embora em menor grau, ao fim do dia junto às piscinas, em que estacionam em qualquer lado e sem querer saber dos outros porque não se querem incomodar e fazer umas dezenas de metros para deixar os carros nos estacionamentos....
    É a lógica dos outros que se lixem, desde que eu esteja bem. É por isso que estamos assim.
    Dito isto, o papel da polícia e da segurança também deixa muito a desejar - tinham obrigação de não permitir situações deste género e fazerem o seu papel em vez de fecharem os olhos. Uma multazinha de estacionamento talvez fizesse essa gente pensar duas vezes da próxima vez. Assim, porque é que se hão-de ralar se não lhes acontece nada?
    Se fizessem o mesmo nalguns países que conhecemos, quando regressassem teriam os carros todos riscados ou com os pneus em baixo porque a sociedade penaliza duramente esse tipo de comportamentos. Aqui, são desvalorizados...
    Temos um longo caminho a percorre.

    ResponderEliminar